quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Sonhos


Uma manha ele acordou, olhou para o lado, para o outro, nenhum barulho. Era muito cedo, mais cedo do que de costume, “nossa que estranho, nunca acordei tão cedo sem que fosse acordado”. Levantou - se foi ao banheiro, à cozinha, enfim parou na sala e sentou-se no sofá, era uma manha de sábado, ele iria trabalhar, mais só mais tarde, bem mais tarde.
Morava sozinho com seu cachorro, que ainda dormia no pé da porta de entrada, como era habitual. Na noite passada saiu com os amigos do tempo da faculdade, bebeu, deu risada, bebeu mais, e voltou pra casa, sozinho como sempre. Era pra ser uma noite divertida com um papo legal, mais como sempre nunca o preenchia. Na verdade ele estava cansado de sempre os mesmo amigos, sempre as mesmas conversas sobre as mesmas coisas antigas, sobre os mesmos sonhos que nunca deixaram de ser sonhos, mais enfim a noite com os amigos foi a mesma de outras noitadas, sempre se repetindo. No caminho para casa se questionava sobre isso, pensava em maneiras de sair desse ciclo que sua vida tinha se tornado desde o termino da faculdade, “espera, eu queria mesmo ter feito essa faculdade? Lembro-me de querer fazer outras coisas, aprender mais, me aprofundar mais. Deveria mesmo ter feito filosofia... hmm não, não conheço um que se sustente. Pensar não alimenta ninguém”. Chegou em casa mais cedo do que de costume, abriu mais um cerveja, assistiu o jornal, leu um pouco e foi dormir no horário habitual.
Agora em seu sofá, de samba canção, olhando seu cachorro que dormia profundamente, recordava os seus pensamentos da noite anterior e se questionava “eu sou feliz? Eu tenho uma vida feliz? Acho que tenho, nunca passei por dificuldade nenhuma, sempre consegui tudo o que queria, é eu sou feliz, tive vários momentos de felicidade e não me lembro de nenhum de tristeza”. Afinal o que poderia ser a felicidade a um homem de meia idade, seu casamento acabou, mais não por falta de amor, mais sim por falta de compatibilidade no lar, até hoje sua ex-mulher é sua melhor amiga, tem um bom relacionamento com os filhos, já se prepara para ser avó, uma vida financeiro estável, bem relacionado, ele era feliz. Então o que lhe incomodava nessa manha de sábado? A resposta é fácil de achar, este homem adiou seus sonhos, nunca teve a coragem de torná-los realidade, e acordou mais cedo do que de costume com uma dúvida com a qual adormeceu tentando achar a resposta “Será que ainda do tempo?”.
Olhou mais uma vez seu cachorro, olhou para a janela, viu o Sol que já se levantava, olhou as horas, tomou fôlego e se levantou as pressas:
- Sim, da tempo sim!

3 comentários:

Luiz Ricardo disse...

Falar de sonhos é sempre um dos meus assuntos preferidos. Quem nunca teve um? Aquele sonho simples para você, que pode ou não ser econômica viável a sua situação financeira no momento, mas que quando vem a sua mente lhe causa um sorriso e um contentamento.
Os sonhos movem o mundo.
O tempo faz com que aprendemos, sonhemos e possamos trabalhar para realizá-los.
Pensar na vida, no que fez dela, no que prentente ser pode ser um ato feito diariamente. É bom pensar e repensar nas suas ações. Ter coragem para lutar, para realizar, isso não tem idade, não existe momento certo.
É importante que se tenha a certeza que as pessoas mudam, sonhos mudam, tudo muda, mas a essência e a vontade de viver tem que crescer mais.
Adorei muito Heverton, mais uma vez meus parabéns e continue levando seus textos para pessoas que precisem de conforto, de afeto.
O mundo seria melhor se todos praticassem a bondade.

Renato Perin disse...

Muito lindo!
E realmente, nunca é tarde para se realizar um sonho!
Parabéns pelo texto. Muito lindo mesmo!

Raíssa disse...

Sempre dá tempo de realizar um sonho, por mais antigo que ele seja.
E principalmente se ele permanecer gritante nos pensamentos como nos primeiros dias em que ele surgiu!